Viajando para a Praia com o bebê

Fomos para  Santos (litoral de São Paulo), para o Rio de Janeiro e agora vou dividir com vocês o que aprendi sobre viajar com bebês para a praia!

Ah como amo a cidade maravilhosa, com sua beleza e seus problemas o Rio continua encantador! Santos também é bem gostoso mas o que me importa agora que sou mãe é ir para um lugar com estrutura se precisar de uma farmácia 24h, mercado e afins! 

É a segunda vez da Julinha na Praia e a partir dessa vez, detalhes que percebi fazerem toda a diferença para o conforto e segurança deles vou destacar pras Mamães de primeira viagem nesse post! 

Vamos começar com:

TRAJETO: foram viagens curtas mas a dica vale para viagens longas também. Santos viajamos de carro e papai não dirige então deixei tudo no jeito para ele! JULINHA não é a maior fã da cadeirinha do carro então em dado momento o papai pulou pra trás e distraiu ela com Videos! Dica número um: baixe os vídeos preferidos do seu filho off line no celular ou tablet. Para o Rio fomos de avião nesse caso leve com você uma mochila que não será despachada! Nela você precisa de fraldas, trocador plástico, pomada de assadura, lenços umidecidos, duas trocas de roupas quentes e duas mais fresquinha pro bebê e uma pra você! Porque o bebê pode vomitar, vazar a fralda e não é só ele que pode precisar se trocar. 

ALIMENTAÇÃO: a boa notícia é que eles liberam você levar papa pronta ou comidinha para os pequenos no voo! Eu tinha dúvidas quanto a isto porque quando viajava sozinha tinha uma regra pra bagagem de mão na qual você não podia exceder uma quantidade de líquidos! Então fiquem tranquilas Mamães podem levar a comidinha do bebê! Além disso levei água quente e leite em pó e a mamadeira de água! Vale lembrar do biscoito de polvilho e frutas. 

NA PRAIA: Importante  deixar o bebê a maior parte do tempo à sombra!  MESMO QUANDO NÃO TEM SOL é bom estar protegido com camisetas dessas com fator 50! Da Julia eu comprei na tip top e na Renner! Leve mais de uma porque essas blusinhas depois que molham deixam o bebê gelado e temos que trocar-la por uma seca!

Toalha bem quentinha e um roupão são ótimas ideias pois eles querem ficar na água até o último momento, até o queixo bater de frio e aquece-los rápido é importante!

 

Protetor solar deve ser repassado a cada uma hora! Apesar dos rótulos dizerem que não saem na água e tem proteção de 6 horas eu não facilito! 

Bonés são indispensáveis pois o coro cabeludo queima e fica ardendo!

Piscininhas com água doce dos chuveiros para banhistas ajudam a entreter, divertem e refrescam os bebês! 

Não dá pra deixar de levar frutas, biscoito de polvilho e leite em pó porque brincar assim dá uma fome neles! Se o seu bebê usa chupeta para dormir não esqueça a bendita viu? E leve mais de uma para o caso dela cair direito na areia! 😉

TEMPO: o tempo do bebê é diferente do nosso! Eles cansam fácil no calor e na água então respeite isso e depois dos primeiros sinais de cansaço vai pra casa, dê um banho morno e deixe ele descansar fresquinho e confortável!



FRALDA ESPECIAL: não pode faltar fraldas de água (que você acha em qualquer Farmácia) disponíveis para você trocar o bebê depois que sair da água! O pediatra da Julia deixou claro que esse cuidado evita problemas de candidíase e assaduras! Agora um aviso mamãe : essa fralda não segura muito o xixi, ela é mais para proteção do coco viu? Descobri isso da maneira mais inusitada! Fomos tomar café da manhã na padaria com a Julinha antes da praia já de fralda especial ela fez coco e xixi e escorreu pelo cadeirão rs 
E a melhor dica de todas : APROVEITEM MUITO ESSES MOMENTOS!!!



Espero que essas dicas ajudem vocês Mamães e Papais de primeira viagem! 😉 

Se tiverem dicas extras deixem nos comentários tá? 

Beijos,

Mamãe Up 

Anúncios

Rotina pro bebê

Sempre ouvi falar o quanto era importante ter uma rotina pro bebê e até achava válido, mas mãe de primeira viagem que sou, muitas vezes não conseguia manter hábitos e horários por vários fatores: cansaço, falta de experiência… 

A Julia não tinha horários certinhos para as coisas e tirava poucos cochilos de pouco tempo dentro do dia! 

Quando ela começou a ficar na minha mãe para minha volta ao trabalho percebi que com a experiência dela minha mãe fez com que essa rotina mais certinha acontecesse e observei que lá a Julia ficava mais tranquila.


Então depois que pegava ela comecei a fazer tudo no mesmo horário, do mesmo modo e percebi que ela virou um reloginho pra jantar, brincar, mamar e  dormir! Tudo foi ficando mais fácil! 

Percebi também que sempre que a Julia está com sono minha mãe coloca ela no carrinho e as duas vão dar uma voltinha! Ela adormece tranquila! 


Aproveitei isso em casa nos final de semana também! 

Então fica essa dica: Crie com seu bebê uma rotina, com ações e horários parecidos todos os dias! Pra nós adultos pode ser repetitivo mas pros bebês a rotina traz conforto e segurança!

Espero poder ter ajudado vocês com essa dica! 

Julinha completou 7 meses gente!


Um beijo,

Mamãe Up 

Ps.: agradeço a minha mãe por tudo que aprendi e até hoje aprendo com ela❤️ e por cuidar tão bem da Julinha para que eu possa trabalhar! 

Depois da licença, o trabalho! Questões que envolvem a volta da mãe ao emprego

Duas semana trabalhando já! O saldo? Não sei precisar ainda! O que turva meu coração para opinar se está sendo bom ou ruim é a saudade que sinto dela o dia todo dela!

Trabalho como propagandista na indústria farmacêutica e visito médicos levando informações sobre remédios. 

Faço um setor próximo de onde a Julia fica então tem dias que consigo ir almoçar com ela, dar a papinha e um beijo, mas como voltei no meio do ano, as atividades extras do trabalho estão “pegando fogo” no que diz respeito a ritmo de execução e eu precisei entrar e correr! 

Então nesses 15 dias almocei com meu gerente algumas vezes, com colegas para buscar me atualizar e por isso tiveram dias que só fui reencontrar a Julia as 18h! Foi duro!

Por mais que a cabeça esteja ocupada, com a correria que o trabalho exige, o coração a todo momento lembra e cobra a presença, o cheirinho, o carinho! 

O bom é que médicos e secretárias querem ver foto dela o tempo todo e eu mato as saudades e fico toda orgulhosa quando escuto um: “nossa que grande”, “ela está linda”!

Agora vamos ao nosso bate papo “maternagem real” que é o que o MamãeUp sempre propôs: 


1- É fácil voltar a trabalhar? 

Não tem uma mãe que eu conheça que tenha me dito que seria fácil! É difícil sim! Mas como tudo na vida a gente leva um tempo e se adapta! Ainda estou me adaptando! Tenho a sorte de trabalhar com algo muito dinâmico então muitas vezes o dia passa voando! 

2- E a amamentação? 

No meu caso prejudicou! Mas tenho colegas que conseguiram manter sim! 

Trabalho na rua e sem privacidade nem tempo para extrair o leite de três em três horas. Sem estímulo o corpo acostuma a produzir menos e meu leite materno está quase zerado! 😦 Na madrugada ainda consigo alimentar a Julia! 

O pediatra dela me disse algo que acalmou a culpa que teima em aparecer: “Você já fez por ela, enquanto pode, mais do que muitas mães conseguem fazer, tranquilize seu coração!”

Eu pesquisei muito sobre como armazenar leite materno, me preparei com bombas manuais e elétricas, térmicas, potinhos de vidro e tudo mais porém a realidade se mostrou mas complicada do que imaginei, inviabilizando o processo! 

A boa notícia é que a Julia já está almoçando, jantando, comendo frutas e se adaptou à fórmula infantil! 

Ainda dou o peito quando chego para buscar meu pacotinho na minha mãe! É o nosso momento e como diz a vovó: “ainda tem um aperitivo aí” ❤️

3- Ficar com o bebê em casa e deixar de trabalhar seria melhor?

Essa pergunta eu não sei responder! Nunca tive a experiência de ficar em casa! Nem solteira, sempre emendei um trabalho no outro! O que posso dizer é que conheço mães que puderam fazer essa opção e são felizes! Há também as que se arrependem! 

Acho que o caminho de cada uma é algo que vai acontecendo mediante a história e a condição financeira e psicológica da família! 

4- E o cansaço aumenta ou diminui? 


O cansaço é o grande X da questão na minha opinião! Porque trabalhar cansa! Não adianta, seja num escritório, em casa, na rua… Aquela atividade demanda energia, concentração, existe pressão e quando acaba o dia, ainda tem os cuidados com o bebê e com você! Jornada dupla, tripla! Não é moleza não! 

É isso aí pessoal! Quando a gente chega em casa é só festa! Papai também teve que se adaptar pois trabalha em Home Office  e estava acostumado com a gente bagunçando a vida dele o dia todo! 

 Devia esse post de retorno pros leitores que me escreveram incentivando, dando força e torcendo… Ainda não está tudo cicatrizado por aqui, confesso, mas o tempo cura tudo! 

Um beijo, 

Mamãe Up 

Tentando equilibrar corpo, mente e coração! 

Chegamos ao quinto mês! 

Que delicia é ouvir os gritinhos da descoberta da voz, os sorrisos mais e mais banguelas, ver você rolando no chão e virando de bruços, ver seu desenvolvimento! 

Como está grande, meu Deus! A curva do crescimento está em 95%, se desenvolvendo muito bem, está esperta e alegre! 


Esse mês iniciamos as frutinhas! Na próxima semana 🙂 teremos banana, maçã e pera no cardápio da baby Up e tem adaptação rolando na casa da vovó! 

Sai todos os dias dessa semana por uma, duas e três horas, deixando minha deliciurraaaaa aos cuidados da minha mãe, coração apertado de saudades mas é necessário construir a rotina pra volta ao trabalho! Deixei  com leite materno tirado a duras penas para a vovó dar na mamadeira. 

Meu leite diminuiu a ponto de quase secar essa semana! Tive uma infecção de vias aéreas superiores, a famosa sinusite agravada pelo meu estado emocional e cansaço, acredito eu! Fato é que a mais de uma semana estou bem mal de saúde! 

Tive que tomar antibióticos e anti-inflamatórios, seguindo com a rotina nada fácil fisicamente que é cuidar de um bebê, resultado? Ainda não estou 100% e tivemos que recorrer a fórmula infantil pela primeira vez na quinta-feira! 

Pra mim é difícil! Gosto de amamentar exclusivamente, acho importante e optei por isso tendo até quinta-feira condições de manter mas a Julia estava reclamando de fome e mamou a fórmula com avidez! 

Não ia contar pra ninguém, queria guardar comigo a tristeza de não ter mais exclusividade no aleitamento materno mas quem tem um blog de maternidade tem o compromisso com a transparência no intuito de ajudar outras mães! 

Continuo amamentando mas a produção estava baixíssima por causa da infecção que não melhorou ainda! 

Essa madrugada a produção deu uma melhorada, aluguei uma bomba elétrica para estimular porque não quero e não vou desistir da amamentação e consegui tirar 80 ml! 


Tenho fé que vai voltar ao normal meu leite mas também tenho certeza que fiz tudo que pude para mantê-lo e estou tentando equilibrar a cabeça com o coração caso não aconteça! 

Não é fácil… Já chorei, já tive insônia, mãe sofre! AMAmentar é bom demais, eu amo! 

Tem mais um problema rolando nas entrelinhas! Parei de perder peso e ainda estou 10 quilos acima do peso, fui comprar roupas para voltar ao trabalho e o instinto feminino gritou de tristeza!

Existem mulheres que engordam pouco na gestação, não foi meu caso tenho uma eterna briga com a balança e ainda existe um caminho longo para ser percorrido!

Dividir as experiências faz com que a gente tenha certeza: não estamos sós! Somos humanos, cheios de incertezas, medos e inseguranças mas falar disso ajuda no processo!

O importante MESMO pra mim é que a Julia está forte, saudável e feliz!


Um beijo,

Mamãe Up

A primeira saidinha sem o bebê a gente nunca esquece 

Essa semana resolvi dar início ao processo de adaptação da Julia com minha mãe. Quando eu voltar ao trabalho em julho ela ficará na casa da minha mãe das 7h30 às 18h! 

Sei que não será fácil nem para mim, nem para ela, afinal são quase 14 meses juntinhas (contando com a gravidez)! 

Então hoje minha mãe veio para minha casa, eu tirei leite durante a madrugada e fui! 

Fui fazer minhas sobrancelhas na Expressão do Olhar, já tinha vontade desde antes da gravidez e já conhecia o trabalho lindo do Michelly.

Eu precisava me forçar a ir e ir a um lugar que eu não pudesse voltar se desse saudades! Então já queira fazer a micropigmentação e lá fui eu! 

Coração apertado, cadeirinha do bebê vazia no retrovisor, minha cabeça a mil e eu só repetia: ela está com a minha mãe! 

Meu marido trabalha em casa então ele também estava lá caso a Julia estranhasse! Sim, ela estranha minha mãe, minha sogra, meu irmão ou qualquer um que não seja eu e o Edney! 

No meio do caminho mandei uma mensagem pro meu marido: “posso ficar perguntando como estão as coisas toda hora?” E ele disse: “pode!”:)

Cheguei lá no destino e abri a câmera do quartinho dela, silêncio! Mandei mensagem pro marido: “tudo bem aí!?” E ele: “sim sua mãe desceu pra passear de carrinho com ela”.

Foi o primeiro momento de relaxamento! Ela estava bem! Entrei pra fazer o processo e fui ao banheiro meia hora depois, quando me deparo com essa foto no meu celular: 

Ela estava dormindo, depois de tomar metade do leitinho que eu tinha deixado, agarradinha ao meu protetor de olhos com o meu cheirinho que tive a ideia de deixar com minha mãe! 

Chorei no banheiro da clínica! Ah Mamães só vocês irão me entender! 

Terminei o procedimento, adorei o resultado (e super indico @expressaodoolhar_paraiso_sp) e voltei pra casa voando! 


Cheguei aqui e lá estava ela no salão de jogos com a vovó passeando de carrinho! Quando me viu abriu um sorriso banguela, deu uma gargalhada e agarrou o peitão mamando por uns 20 minutos! 

Beijo,

Mamãe Up 

Dicas para a hora do banho do bebê 

Quem estando grávida não se perguntou: é quando ele(a) nascer? Como será o banho!? 

Eu não era daquelas que tinha muito medo mas dizer que eu sabia como segurar, lavar e secar é mentira.

Na maternidade a enfermeira me ensinou como fazer mas foi no dia a dia que fui pegando o jeito e hoje a Julia adora a hora do banho! 

Resolvi escrever sobre como dar o banho no bebê para as gravidinhas acalmarem o coração! 

Sei que existem vários vídeos na internet mas às vezes ler dicas de mamães que já sacaram algumas coisa pode dar um clique na auto confiança quando bater aquele medo!

Vamos lá: 

1- Prepare tudo o que vai precisar antes de por a água na banheira: toalha, fralda de secar, roupas limpas para o bebê, fraldas, creme para evitar assaduras, colônia, etc

2- Eu gosto de dar o banho no quarto por que ligo antes no ambiente o aquecedor elétrico, bebês têm muito frio!Nao gosto da ideia de trocar do banheiro para o quarto e pegar aquele ventinho. E tem o trocador ali pertinho da banheira no quarto o que facilita na hora de secar e trocar. 

3- Dois baldes de água quente do chuveiro são suficientes para um banho gostoso! Não precisa encher a banheira, nem de mais, nem de menos! 

4- Existem dois meios de ver se a água está boa: coloque a mão até o punho e sinta se a temperatura está boa ou use um termômetro verificando se a água está entre 36 a 38 graus! A Julia gosta de 38 graus só dei 36 no calorão 😉 

5- Tire a fralda e limpe o bebê, pois a água não pode se contaminar com excesso de côco por exemplo.

6- Coloque o bebê devagarzinho na banheira pelos pés e deixe ele acostumar com a temperatura da água e com o contato com a água e então deite ele sobre seu braço segurando o bracinho e a cabeça fora da banheira.

7- Converse com seu bebê, mantenha um sorriso ou cante! O banho pode ser uma hora de conexão entre você e seu filho!  

8- Lave primeiro o rosto passando a mão delicadamente nas bochechas, olhos, nariz e boca. Nunca jogue água no rostinho, eles assustam muito fácil. 

9- Lave o corpinho na frente e depois vire delicadamente o bebê e lave por último os órgãos genitais. 

10-  Banho pode ser na banheira ou no ofurô (balde)! O balde é muito relaxante pois o bebê tem a sensação de estar no útero materno! Além de prático! Julia adora! Eu uso muito para aquele banho rápido antes de dormir ou na hora do cocozão! 



Espero poder ter te ajudado! 

Tem alguma história engraçada ou gostosa de banho? Ou alguma outra dica?  Conta pra gente nos comentários. 

Um beijo,

Mamãe Up 

Furo nas orelhas

Mamães, vovós e papais de meninas, parem tudo o que estão fazendo para ler este post se chegou a hora de furar as orelhinhas! (Risos)

Tenho algumas dicas, dúvidas que rondavam a cabeça da mãe de primeira viagem aqui: Quando? Dói? Qual melhor lugar? 

Aí fui pesquisar item por item com várias mamães, vovós e profissionais! Cheguei às respostas abaixo: 

Quando? 

Perguntei primeiro para o pediatra da Julia e ele me recomendou após as vacinas dos dois meses! Achei coerente pois o bebê não deve (tecnicamente) sair de casa antes da primeira imunização! 

Quando perguntei às amigas mamães me disseram “o mais rápido possível, para não doer” e percebi que as mães em geral têm uma ansiedade tremenda pelo dia do furo! Eu tinha um certo pé atrás pra ser franca pois achava que ia expor a Julia a uma dor desnecessária o que me levou a segunda questão!

Dói?

Não dói! É o que todo mundo repete! Mas aí eu pensava: “são dois furos caramba como não dói?”

De novo o santo pediatra da Julia me explicou algo interessante: “se furar no lugar certo da orelha não dói mesmo, eles choram mais pelo susto” o que me levou a terceira questão!

Qual melhor lugar para levar a baby Up? 

Aí o Dr. Galvão e as mamães amigas foram unânimes: FURO NA ORELHA a clinica! 

Pesquisei na internet só nota boa pro dr Walter acupunturista simpático e mega bem recomendado que fura as orelhinhas com o maior carinho! 

Chegamos a clinica com o brinco de ouro (eles pedem que seja) e com um medinho, confesso! Minha mãe foi com a gente e estava super tranquila. Na sala de espera puxei papo com as mães e estavam TODAS tensas! (Risos) 

O Dr. Walter vem pessoalmente passar pomadinha anestésica em cada orelhinha na sala de espera e ainda completa dizendo: “se pudesse passava no coração de cada mamãe também”! 

Já quebrou meu gelo e começou uma mini palestra sobre como seria o furinho, quais os procedimentos utilizados e cuidados pós furo. Simpatia pura, experiência no assunto e tecnologia pois ele identifica através de um aparelho o ponto neutro em cada orelhinha. 

Relaxei! Julia rindo pra ele, ele apaixonado por ela e eu orgulhosa! Vamos entrar? 

Julia foi corajosa, chorou só um tico e logo estava mais LINDA DO QUE NUNCA!(reparem já de brincos!)  

 
Depois ele pediu pra tirar essa foto com ela e disse:”Furo a orelha de cada bebê pensando em como eu gostaria que tratassem um neto meu”! 

Um encanto, super recomendo. Link ali em cima com a fanpage dele, a clinica fica na Moóca e o furo me custou R$ 120 reais e valeu cada centavo! 

Então se chegou a hora de furar a orelhinha ficam aí minhas descobertas e dicas!

E com vocês como foi a hora do furo nas orelhas das babys girls? 

Um beijo,

Mamãe Up