Infância e magia 

Lembro de muitos momentos doces na minha infância, delicadezas e carinhos mas com certeza as historinhas contadas pelos adultos próximos são as mais ternas recordações! 

Essa semana comprei os dois primeiros livrinhos para a Julia e também dedoches que são fantoches de por no dedo! 

  
 Um dos livrinhos pode ir no banho!!! 

 
Os dedoches são lindos né? 👆🏻 tem o link da loja virtual ali no final do post gente! Amei❤️ vem personalizado com o nome do seu filho ou de quem você vai presentear! Nos da chapeuzinho vem a história impressa! Recomendo! 

O papai Up é super criativo e já colocou nos dedos os bonecos, criou vozes e nomes para cada um dos personagens e já demos muitas risadas, imagina ela quando ouvir?

Combinamos também começar uma história dentro do jogo de rpg para depois incluir a Ju na história e ensinar a ela que magia é algo presente na nossa vida! É só querer! 

Minha avó materna, a bisa da Julia, era a rainha das historinhas! Ela era  incansável na arte de repetir as minhas preferidas! E não parava por aí, ela cantava ( inclusive em italiano) durante a história! 

Deixo aqui a minha preferida (lembrado pela vovóUp essa semana) contata pela bisa com vozes e interpretação : 

 

“Dona Baratinha era muito trabalhadeira, gostava de manter sua casinha sempre limpa, arrumada e com flores nas janelas.Um dia varrendo o sótão, encontrou três moedas de ouro. Naquele tempo, esta quantia valia muito e Dona Baratinha ficou muito feliz.Com este dinheiro, poderia reformar a casa e comprar roupas novas. O resto do dinheiro guardou dentro de uma caixinha. Agora que estava rica e elegante, com a casa reformada e um bonito enxoval achou que estava na hora de se casar. Então, a tardinha, vestiu uma roupa bem bonita, fez um belo penteado e foi para a janela esperar os pretendentes. O primeiro a aparecer foi o cavalo, o jovem mais fino da cidade. O cavalo achou Dona Baratinha muito graciosa. Dona baratinha então perguntou: Quer casar com Dona Baratinha tão bonitinha e com dinheiro na caixinha?   Sim!! Disse o cavalo.   Mas Dona Baratinha tinha um sono muito leve e queria saber se o cavalo roncava alto.Como é que você faz de noite? perguntou Dona Baratinha.  O cavalo relinchou tão forte que Dona Baratinha o recusou.Depois dele veio o boi, o galo, o cachorro, o burro e etc.Infelizmente todos eram muito barulhentos e não iam deixar D. Baratinha dormir.Já estava desistindo, quando apareceu Sr. Ratão muito elegante e charmoso.Ela então, resolveu tentar mais uma vez. Felizmente, D. Ratão tinha uma voz suave e a noite seu ronco era fraquinho :Qui, Qui, Qui…       Dona Baratinha ficou muito satisfeita com o pretendente e ficaram noivos.Começaram os preparativos para o casamento.Dona Baratinha toda agitada preparava um delicioso banquete para a festa do casamento e Sr. Ratão ajudava nos convites. Porém sr. Ratão era muito guloso e pediu a noiva que fizesse para a festa seu prato favorito, feijão com toucinho.     O feijão com toucinho que Dona Baratinha preparava estava muito cheiroso e D. Ratão ia toda hora na cozinha tentar provar um pouquinho, mas sempre tinha alguém perto.     Tudo já estava pronto, banquete, igreja e os convidados chegando.Dona Baratinha e Sr Ratão muito elegantes e felizes estavam a caminho da Igreja, porém o noivo só pensava na feijoada. Então disse para Dona Baratinha que tinha esquecido as alianças em casa, e que assim que as pegasse a encontraria na igreja.Sr Ratão voltou para casa e correu até a cozinha para comer um pouco do toucinho.   Mas na afobação, escorregou e caiu dentro da panela do feijão morrendo afogado.Dona Baratinha ansiosa esperava na igreja o noivo que não retornava.Horas mais tarde, muito triste Dona Baratinha e alguns convidados decidiram voltar para casa e comer o banquete.Logo descobriram o fim trágico do seu noivo e todos lamentaram muito.A pobre Dona Baratinha chorou a noite inteira e desde aquele dia nunca mais preparou feijão com toucinho!”

A história é meio triste mas minha vó colocava uma ternura ao contar! Não sei explicar, sempre pedia “a da dona baratinha”!

Sou da opinião que num mundo tão rápido, sem muito tempo pro encanto, temos que estimular nossos filhos a sonhar, a criar um mundo interior calmo, doce e com muita magia para que um dia eles possam se tornar adultos melhores e mais felizes. 

A imaginação de uma criança não tem limites e isso se bem aproveitado pode ser fator de desenvolvimento futuro! 

E você, tinha uma historinha preferida? Compartilhe com essa mamãe de primeira viagem a sua preferida, para que a gente nunca deixa morrer esses contos e encantos! 

Um beijo,

Mamãe Up 

Os dedoches você encontra: 

http://www.carolinda.com.br/produtos/dedoche-chapeuzinho-vermelho

Anúncios

Um comentário sobre “Infância e magia 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s